18 dezembro 2014

In Memoriam de António Rosa

   
António Rosa
(1949 - 2014)

"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis. "
Fernando Pessoa

O António foi para mim um pai, um grande amigo.

Foi um grande Mestre, um verdadeiro Maestro para muitos. 

Os mestres reconhecem-se pela intemporalidade da sua obra, e, sem dúvida, o António conquistou essa competência / intemporalidade em vida. 

Também reconhecemos os mestres por fazerem escola, por isso compreende-se que que o seu legado deixa profundas marcas nos seus seguidores.  

Um dos seu últimos desejos, passo a citar:
“Quanto ao 'Cova do Urso' entendendo que deve permanecer para além da minha morte por achar que tem um conteúdo que pode ajudar muito as pessoas. Não será alimentado com posts futuros, excepto 1 que te pedirei que faças como melhor entenderes, a anunciar o meu falecimento, mas num tom descontraído. Apenas gostaria que o título fosse «In Memoriam de António Rosa, um astrólogo que amou este blogue e os seus amigos».”

Lamento não conseguir cumprir a parte do descontraído, porque até a descontrair ele me ensinou… Rimos à gargalhada, choramos que nem Magdalenas, também ralhamos bastante. 

Vivemos muitas vezes juntos e apreendemos e a ser senhores das 12 séries de virtudes gémeas:
“Silenciar – Falar
Ser suscetível – Ser imparcial
Ser obediente – Ter domínio
Ser humilde – Ser autoconfiante
Ter rapidez – Ter prudência
Aceitar tudo – Saber diferenciar
Ter cautela – Agir com coragem
Nada possuir - Dispor de tudo
Ser desapegado – Ser fiel
Exibir-se – Passar despercebido
Desprezar a morte – Valorizar a vida
Ser indiferente – Saber amar”

Mas o mais importante foi o facto de que tudo entre nós será inesquecível, intemporal. Nada mudou entre nós, estaremos sempre juntos e reencontrar-nos-emos noutra dimensão.

Nesta encarnação já fui tocada pelas asas de três anjos que encarnaram, o meu Mestre Armando Correia, grande Artista e Ceramista (1936 – 2008), Manuel Taraio, Grande Pintor (1956 – 2009) e o António Rosa grande Astrólogo e Pensador.


Confesso que com todos os ensinamentos que me transmitiram sobre a vida, sobre a morte e como vivê-la, particularmente o AR, e com toda a consciência que eu julgava ter, só agora com o teu desencarne, e comigo a escrever estas palavras, António, fiz as pazes com o AC. 

Mais uma vez nada mudou entre nós António, mesmo depois de regressares à tua essência… continuas a ser fonte inesgotável de inspiração.   

Amo-te muito!

PS: Serão feitas a seu tempo algumas alterações no layout do seu blogue a pedido do António. 

Sem comentários: