15 junho 2008

Concha Rozas e Magda Moita no mês das Artes em Óbidos

“Maria José” - O Cipreste e o Tigre

Maria José Salavisa possuía uma casa nesta Vila. No seu jardim edificou, e vingou um Cipreste. Hoje, imponente presença, marca o espírito de quem o plantou. Prolonga a natureza desta consciência, que identificava a sua essência. Era assim que Maria José Salavisa, se desenhava.

O Cipreste evoca imortalidade, ressurreição, incorruptibilidade e pureza.

Diz Confúcio: “ Os Ying costumavam planta-los junto dos Altares da Terra”

O Tigre é uma representação superior da consciência, é a consumação, e, integração dos opostos. Ele é o curador, o iniciador, integrando na sua essência o poder de transmutar o antagónico.

“Maria José” - O Cipreste e o Tigre, é uma visão do que esta Figura representa. O seu lugar é junto ao Cipreste, plantado por Maria José Salavisa, na sua casa, hoje Museu Abílio Mattos e Silva.

A concepção deste Tigre não seria possível sem a querença duma corrente de almas que o apoiaram e acarinharam. O seu parto deve-se em especial ao Martinho Fernandes e Ofélia Reis, que sem o seu apoio e amor incondicional, isto não teria sido possível.



3 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Magda, sucesso!
Um beijo + saudades.
Lembro sempre muito de você!
Ma Jivan Prabhuta

alma disse...

Qué bonito simbolismo...gracias por compartir

Hanah disse...

Olá, desculpe passar aqui sempre na correria...passei aqui para deixar-te

um convite...

100,000,000 de pessoas unirão a sua luz,
no que será o maior Protesto de Luz pelo Tibete

No dia seguinte serão enviadas cartas a todos os presidentes de governo mundiais informando-os exactamente quantos seus concidadãos desejam um Tibete Livre. Pedindo a cada um deles que actue pela Liberdade do Tibete.

http://candle4tibet.org/

http://candle4tibet.ning.com/

beijos
Hanah