24 maio 2008

MENSAGEM…


MENSAGEM…

Vejamos, de uma forma simples, como, eventualmente pode surgir um trabalho – Uma Obra de Arte.

Uma ideia que nos ocorre! Memórias que nos acompanham… Um número infinito de pontos de partida.

Contudo não há Obra de Arte sem pensamento, mais ou menos explícito.

Hoje não é possível a nenhum artista pensar uma série de trabalhos, sem simultaneamente levar em conta, o Universo em que vivemos. A nossa contemporaneidade. O visitante que procura a Obra de Arte.

Compete ao Artista, através da sua capacidade de comunicar, da sua Força de Expressão, deixar impresso e expresso nos seus trabalhos, todas as emoções que passam, e, atravessam o seu corpo.

Só assim a Obra de Arte adquire o seu sentido mais profundo. Daí resulta a interacção entre a OBRA e o OBSERVADOR. Daí nasce o impacto, a impressão que esse observador receberá e que depois levará consigo para o seu quotidiano.

Ofélia Reis


3 comentários:

António Rosa disse...

Gostei muito, D. Ofélia.

Magda, nós, até ao Rock in Rio-Lisboa.

kiss

Magda Moita disse...

Olá António!

A D. Ofélia já está a ficar cibernética.

beijos e até ao Rock in Rio-Lisboa.

Magda

Astrid Annabelle disse...

Magda,
texto interessante...gostei.
Bjs.
Ma Jivan Prabhuta